Domingo, 25 de fevereiro de 2024
informe o texto

Notícias Polícia

Funcionária é investigada pelo desvio de R$ 3,6 milhões de empresa em MT

15/12/2023 - 18:05 | Atualizada em 16/12/2023 - 10:51

DA REDAÇÃO

Funcionária é investigada pelo desvio de R$ 3,6 milhões de empresa em MT

Foto: Assessoria - PJC

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis cumpriu na tarde desta sexta-feira (15.12) seis mandados judiciais contra duas pessoas investigadas por crimes patrimoniais contra um grupo empresarial do município.

A Operação Colossenses cumpriu seis ordens de busca e apreensão, sequestro e bloqueio de ativos contra os acusados de desviarem em torno de 3,6 milhões de reais de uma empresa da área do agronegócio.

A Derf de Rondonópolis instaurou inquérito para apurar os crimes de furto qualificado, com abuso de confiança e mediante fraude, e lavagem de dinheiro supostamente praticados por uma funcionária da empresa.


Representantes da empresa denunciaram em novembro deste ano que no período de um ano, a funcionária que era responsável pela área de recursos humanos desviou do grupo empresarial a quantia de R$ 623.093,67. Para efetuar o desvio, ela fez 154 transferências bancárias e depósitos com cheques da empresa tendo como beneficiária sua própria conta-corrente.

 Veículo apreendido dos investigados 

Para camuflar os desvios, a ex-funcionária simulava o pagamento de verbas trabalhistas para outros funcionários da empresa e depois transferia os valores para sua conta-corrente, mediante operações via Pix ou depósitos em cheques. Após os desvios serem descobertos, a investigada confessou o crime aos proprietários e representantes da empresa e forneceu, voluntariamente, seus extratos bancários.


Em análise dos documentos, a Polícia Civil constatou que ela fez 26 transferências via Pix para seu cônjuge, totalizando R$ 125.550,00, entre os meses de janeiro e agosto de 2023. A investigação aponta ainda que há indícios da participação do marido da ex-funcionária na ocultação dos valores desviados da empresa vítima.

A investigada trabalhava no grupo empresarial desde 2019 e há ainda indícios também de outros desvios, que estão sob apuração, com valor aproximado de R$ 3,613 milhões. Ela responde a outro inquérito policial na cidade de Primavera do Leste, onde cometeu o mesmo tipo de crime, em 2016, contra grupo de agronegócio daquele município.
 

FAÇA PARTE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E RECEBA DIARIAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS!

CLIQUE AQUI E ENTRE NO GRUPO



 

Informe Publicitário

 
Sitevip Internet
X