Sexta-feira, 19 de agosto de 2022
informe o texto

Notícias Poderes

Caso em que Juca do Guaraná chama Michelly de "histérica" é arquivado pelo MP

23/06/2022 - 17:09 | Atualizada em 23/06/2022 - 17:15

DA REDAÇÃO

Caso em que Juca do Guaraná chama Michelly de

Foto: Secom - Câmara Cuiabá

Foi arquivado pelo Ministério Público Estadual (MPE) a ‘Notícia de Fato’ instaurada em desfavor do presidente da Câmara de Cuiabá, Juca do Guaraná (MDB). Ele foi acusado de cometer crime de violência política após dizer que a vereadora Michelly Alencar (União Brasil) era "histérica”, durante sessão. O caso ocorreu no dia 4 de outubro de 2021.
 
De acordo com o MP,  a atitude de Juca em cortar o microfone da vereadora no plenário e afirmar que não adiantava ela "ficar histérica como uma menina que perdeu um doce" não foi uma atitude machista, e que não houve discriminação à condição da mulher. 
 
"O corte do microfone, abstratamente considerado, tem guarida legal e por si só, é inapto a flexionar o núcleo do tipo penal, pois decorre do poder hierárquico da Presidência de órgãos colegiados - sejam no executivo, judiciário ou legislativo - e tem previsão expressa nos regimentos destes órgãos. Assim, o simples corte não configura, de imediato, impedimento ou dificuldade de desempenho do mandato parlamentar", diz trecho da peça do MP.
 
Com a repercussão negativa, há época Juca do Guaraná chegou a pedir desculpas publicamente a Michellly, para tentar amenizar a polêmica e tentar evitar a judicialização do caso.
 
Clique aqui e siga-nos no Facebook.
 
Clique aqui e entre em nosso grupo no Whatsapp.

Clique aqui e siga o nosso Instagram.

Clique aqui e siga nosso TWITTER.

Clique aqui para entrar em nosso canal no Telegram.
 
 
Sitevip Internet
X
Fale conosco via WhatsApp