Domingo, 26 de setembro de 2021
informe o texto

Artigos ​Diego Guimarães

Os Ossos do Ofício

Demorei um pouco para escrever algo porque é difícil “digerir” a cena que assisti durante um almoço de final de semana com minha família.

Foto: Divulgação

Demorei um pouco para escrever algo porque é difícil “digerir” a cena que assisti durante um almoço de final de semana com minha família. Enquanto eu dava almoço para minha filha de dois anos, na TV estava sendo exibida uma reportagem que mostrava uma fila de pessoas à espera da doação de ossos para poder alimentar suas famílias.

Perdi a fome, fiquei estático e incrédulo com o que estava vendo. Minha vida nos últimos cinco anos foi lutar por uma Cuiabá mais justa, um lar para as pessoas, e de repente me deparo com essa cena que me tirou o sono.

O episódio dos ossinhos mostrou as entranhas da falta de políticas públicas para os mais pobres. Diariamente é divulgado em sites da nossa cidade, ações, doações de cestas básicas, cobertores e dinheiro, tudo na tentativa de suprir instantaneamente algo que só pode ser resolvido pensando e agindo a longo prazo.

O palanque dessas ações sempre está cheio. Muitos políticos querendo aparecer na foto, mas a realidade, a verdadeira face da pobreza que o brasileiro vem enfrentando sempre é mascarada. Mais de 18 mil famílias vivem em extrema pobreza em Cuiabá. Em 2013 esse número já era alarmante, 11 mil famílias. O aumento foi de 67% em oito anos, intensificado com a pandemia.

Não é fácil pensar no que pode ser feito, penso nisso todos os dias. O que não se pode manter é esse jogo de empurra entre governo e prefeitura, bem como a busca pela paternidade de ações paliativas e irrisórias. É preciso que haja investimento no setor econômico, geração de emprego que vai movimentar nossa cidade e consequentemente levar comida para a mesa dos cuiabanos.

Planejamento. É preciso planejar essa reativação econômica, sem demagogia e sem pensar nos votos que pretendem angariar de olho na eleição próxima. As secretarias de assistência social não podem parar de amparar essas famílias, mas os Executivos precisam buscar outras vias. Levar oportunidade de capacitação e emprego não só em Cuiabá, mas como em todo o Estado.

Cuiabá e Mato Grosso precisam de gestores com menos fígado e com mais coração.

​Diego Guimarães

​Diego Guimarães
É advogado e vereador por Cuiabá, pelo partido Cidadania.
ver artigos
 
Sitevip Internet
Fale conosco via WhatsApp